Gastrite

Equinos também sofrem com esse mal

  • PAULA MAGALHÃES
  • 11/08/2020
  • 09h19

 

Você sabia que a Gastrite também é um problema para os equinos?

Inflamação crônica ou aguda da mucosa que reveste o estômago, este é um problema comum que poder aparecer por diversos motivos, tanto nos potros, como nos animais adultos.  

A gastrite equina se origina em consequência a fatores como manejo alimentar incorreto, vermes, uso excessivo de medicamentos, problemas odontológicos, estresse, dentre outros. Alguns dos sinais que ajudam a identificar as gastrites e úlceras são: perda de apetite, diarreia, queda no desempenho das atividades de rotina, cólicas, excesso de salivação, inquietude ou prostração. Tais sintomas levarão também a perda de peso. E para o diagnóstico correto será necessário que o indivíduo pela avaliação de um profissional devidamente capacitado. Uma gastroscopia mostrará a presença, gravidade e quantidade das lesões.  

Como muitas outras enfermidades equinas, o manejo alimentar incorreto é uma das principais causas. Seja através do jejum prolongado, que expõe o indivíduo à ação do ácido gástrico produzido e presente no estômago, seja por meio da ingestão de alimentos como feno e capim muito secos, com presenças de partes muito duras e sem a mastigação adequada, que são as chamadas lesões mecânicas. A não mastigação pode ser provocada por feridas bucais ou problemas dentários. Os longos períodos de jejum são gatilhos, especialmente em caso de animais estabulados, pois tendem, ainda, a ingerir menos alimento volumoso e mais concentrado.

O estresse também é um provocador, principalmente, em animais que passam por treinamentos de intensos e viajam constantemente.  Outro causador é o uso indiscriminado de medicamentos, a exemplo, os anti-inflamatórios não esteroidais.  As irritações podem, ainda, ser fruto da presença de parasitas, de espécies como os gasterophilus e habronema SPP.

Para o sucesso no tratamento da gastrite é preciso, além do diagnóstico correto e precoce, a administração de medição correta, bem como a interrupção e eliminação dos fatores de causa. 

Mais uma vez, destaca-se, conhecer o comportamento habitual da tropa e realizar boas práticas de manejo, são atitudes essenciais para a manutenção da saúde e bem-estar dos animais do plantel. Lembre-se, a qualquer alteração na saúde do seu marchador, consulte sempre um médico veterinário!